quinta-feira, 28 de maio de 2009

fenecendo..

Infinitas são as cores
De outrora ficção
Entre várias penetrantes flores
De aurora sobre fulgores,
Meu sonho vai alarmar?
De que brisa aprendes-te
A prender-me de respirar?

Gentil, engraçado e confiante
Nos teus jogos incensáveis,
Que tens tão belas palavras
Adormeceu-me a sonhar;
De teus brinquedos não se esquece
Entristeço, adormeço e não te esqueço!

Por ventura sou contente,
Pois no sonho em que mentes
Fantasiaste-me inocente
De alguns tantos brinquedos teus...!

Mas de repente chorando
Desperto do sonho brando
Nada disso tem sentido
Como risonho findando,
Por uns dias de encanto

Gentil, engraçado e confiante
És fráguas ao meu coração.
Infindável em meu sorrir,
Findará meu sonho então!

6 comentários:

ED CAVALCANTE disse...

Lembrei-me da Cor do Som, Armandinho sempre falava que as cores Têm som. Você misturou sentimento e cores, quem está feliz vive num mundo de cores!

Jessica Berdych Laviere disse...

Não há nada mais lindo do que uma poesia bem escrita,
adorei a delicadeza e a sutileza com que escreveu,
Seu cantinho também é lindo.

Cá entre nós escrever,ou falar de sentimentos não é muito fácil,mas vc faz isso muito bem.
Parabéns!Bjos flor!

Danilo disse...

"Pois no sonho em que mentes
Fantasiaste-me inocente
De alguns tantos brinquedos teus..."

Gostei da sonoridade desses versos.

Thaís A. disse...

Nossa, juro, ficou perfeita. Parece daqueles escritores super famosos *-*

Victor Valente disse...

POXA BEM LEGAL ESSA POESIA!
VC Q FEZ?

Victor Valente disse...

E O LAYOUT DO BLOG TA MUIT LEGAL TBM!!!!!!

 
template by suckmylolly.com